Placebo

5.6.09



Já trabalhei em locadora de vídeo. O que muitos consideram bons clientes por estarem todos os dias na loja, eu encaro como pessoas infelizes de vidas vazias.

Ao invés de aproveitarem o dia em um programa com a família ou entre amigos, alguns preferem ficar duas horas em pé próximos à devolução de DVDs na espera de uma cópia de determinado título. A cena é deprimente, ficam extasiados cada vez que alguém devolve um filme. O tempo que ficam parados sem fazer nada muitas vezes é o mesmo do filme.

Pessoas que não sabem viver suas próprias histórias ficam alteradas porque planejaram o dia para verem um filme e o mesmo não estava na prateleira. Destratam funcionários que trabalham no Natal, Páscoa, Dia do Trabalho e domingos. Agem como se um filme fosse um remédio para curar suas neuroses e inseguranças.

Gente que não sabe o que fazer com os filhos, vão às locadoras alugar histórias irreais. Entopem as crianças de doces, refrigerantes e desenhos animados. Desperdiçam um grande momento do crescimento dos filhos em frente à televisão. Depois ficam aflitos por desconhecerem as causas da rebeldia quando entram na adolescência.

Quando também viram adultos, os pais cobram atenção sem perceberem que não deram o exemplo aos filhos. Então, para mascararem o desamparo, retornam às locadoras para alugar mais uma ilusão.

4 comentários:

Eugenio disse...

Disse tudo. Mas nessa selva de apatia sempre tem alguns poucos que se salvam. Bem poucos.
Beijos

Vírgula Antenada disse...

"Agem como se um filme fosse um remédio para curar suas neuroses e inseguranças."

Faço isso toda vez que preciso de tempo.
Antes música dava; hoje filme, muitas vezes qualquer um seja o canal da Sony, TNT, apelo em locadora.

Sou tão insignificante... ou me tornei depois de ler vc.

february star disse...

o filme é uma válvula de escape dessa realidade densa (para mim, inclusive, tenho que admitir) mas tudo tem limite.

beijão.

Anônimo disse...

Sim,filme é um escape da realidade, mas não a solução dos problemas. Elas agem como se aquele "lançamento" fosse resolver as suas vidas.