Simples assim

16.5.09


Na minha infância, eu literalmente cantava no chuveiro. Minha mãe dizia que eu era afinada. Se me perguntassem o que queria ser quando crescesse, diria, “quero ser cantora”. Era brega, cantava sem parar O amor e o poder, “como uma deusa você me mantéééém”. Iniciei aula de violão, mas tinha vergonha de cantar. Também deixei de cantar no banho.

Um gato arisco que só ficava próximo a seus donos vinha no meu colo. Isso era motivo para me apontarem o curso de Veterinária. Fui conhecer a Sociedade Protetora dos Animais e chorei durante uma semana inteira só de me lembrar dos bichinhos debilitados.

Depois, eu fazia palhaçadas, inventava coisas e meus amigos diziam para eu virar atriz. Fiz curso de teatro durante um ano. O mais legal era sair depois da aula com o grupo e com o professor para jogar conversa fora. Nenhuma peça foi apresentada porque na aula só havia bagunça.

No vestibular optei por Jornalismo porque um teste vocacional revelou ser a área de Humanas a melhor para mim. Diploma na mão, nenhuma perspectiva, deixei de procurar por algo que no fundo não gostava.

Resolvi me dedicar ao blog. Tomei gosto pela escrita porque ninguém decidiu isso por mim. Às vezes crio textos mentalmente. Quando consigo um pouco de tempo para escrever aqui, as ideias já se perderam. Ou na hora de escrever não fica tão bom quanto eu esperava. Puxa vida, mas na minha cabeça havia ficado tão legal... Mesmo assim, sinto-me feliz quando clico no botão publicar postagem mesmo que cinco segundos depois eu passe a odiar o texto. Desenvolvi um certo carinho pelo Blogocular. Fiz muitos amigos por causa dele. E gostei.

3 comentários:

february star disse...

No vestibular optei por Jornalismo porque um teste vocacional revelou ser a área de Humanas a melhor para mim. Diploma na mão, nenhuma perspectiva, deixei de procurar por algo que no fundo não gostava.

vem cá, por acaso eu te dei permissão pra entrar na minha cabeça?

eu, hein.

Eugenio disse...

Veja se eu estou certo: Quando a conheci, você já tocava violão, tinha (tem) uma guitarra, toca teclado, me contou que fez teatro em PoA, certo? Que vc é a engraçadona da família nós já sabemos e mais um monte de coisas que já me contou e que não vou citar aqui porque senão iria ocupar muito espaço. Mas uma coisa que eu não sabia é que você queria ser cantora?!É uma mulher multifuncional(multi-funcional?) mesmo! Talento vc tem, e se até aquele Jair Oliveira com aquela voz de taquara canta, por que não tu?
Beijão, querida amada!

Vírgula Antenada disse...

Eu te conheci por causa desse seu blog que adoro! Eu fico muito revoltada quando vc demora escrever nele... Te acho uma escritora de cotidiana do primeiro time, quase uma corinthiana de tão boa!
Vc é atriz, é cantora e pode ser o que quiser, porque, vc nasceu inteligentemente humana!