Dia do jornalista

7.4.09



O nome do curso escrito no livrinho de disciplinas ofertadas pela faculdade. Somente os aprovados o receberam. Uma das 40 vagas era minha. Via televisão, lia revista, participava de uma conversa, mas não prestava atenção em nada. A cabeça ia longe. Quando meu devaneio parecia irreal, olhava de novo para o livrinho para me certificar, não era um sonho. Fitava admirada a capa, lá estava a palavra: Jornalismo.

Não era só eu quem ficava maravilhada com a profissão, todos olhavam com orgulho quando respondia o que ia tentar no vestibular. Jornalismo era um fascínio, ainda mais em minha cidade onde apenas PUC e Federal possuíam o curso.

Havia um romantismo na profissão. Hoje é tudo diferente, os recém-formados procuram outras profissões porque o ex-ministro Paulo Renato Souza, do governo Fernando Henrique Cardoso, autorizou o funcionamento de vários cursos de Comunicação, em um mercado de trabalho defasado. Nos ônibus e nas ruas passou a ser vulgar alguém carregar uma bolsa ou mochila com o nome do curso.

Onze anos depois de minha entrada para a universidade, há pelo menos dez novos cursos de Jornalismo em Curitiba e sabe se lá se neste exato momento em algum bairro não está sendo criada uma nova faculdade com o curso. Além das duas já citadas, possuem o curso, Tuiuti, com autorização em 1997 e 200 vagas anuais, Opet e Essei desde 2000, Unibrasil (2001, 150 vagas), Uniandrade (2003, 100 vagas), Facinter (2006), Unicenp e UniCuritiba (2009).

Enquanto milhares de formados procuram em vão um lugar ao sol, Paulo Renato Souza está tranquilamente sentado em sua cadeira no Congresso em Brasília. O criador do Provão e do ENEM ainda dita regras juntamente com seus 513 colegas na Câmara dos Deputados.

4 comentários:

Eugenio disse...

Seria bom se ele criasse também o curso de Jornalismo para jornaleiros e donos da banca de revista, aí sim teria alguém trabalhando que fosse formado na aréa, já que pra conseguir alguma coisa aqui tem que ter Q.I. (quem indique). Não é verdade?!
Bjs

Suzete disse...

Ana Luíza,

lembrei de vc no dia 11 - parabéns!!! Tava na praia, longe dos teclados - então vai um abraço atrasado, tá?

Suzete.

Vírgula Antenada disse...

Fiquei mesmo emocionada com seu texto.
Ainda me lembro quando escolhi meu curso que era profissão.

Vanessa Martins Efunpàdé disse...

Bah Lu, eu nem lembrava mais desse livrinho... Puxa guria, a gente sonhava mesmo. Mas nossa amizade é pura realidade. Bjo mocréia!