Meus es

18.1.08


Estou cercada por ela. Todos começaram do mesmo jeito. Meu namorado, meu pai, meu irmão, meu avô, minha avó, até minha mãe tentou fugir, mas não deu certo, o cartório errou. Ou acertou? Eugenio, três vezes Elias, Ema e Elena. Todos com a letra e no início. Eu consegui escapar.

Começo de ano vem com planos, lista das futuras realizações para os 365 dias. O meu começa sem isso. Dois mil e sete veio com Elis Regina, numa ânsia de ouvir todas as canções que ainda não conhecia em sua voz. Paixão avassaladora, li em um único dia Furacão Elis, fiz meus vizinhos baterem a cabeça de raiva. Já não suportavam mais a voz da Pimentinha. Foi assim o ano inteiro, sem maiores planejamentos.

Quando o ano findava, eis que novamente ressurge outro e, Erico Verissimo. Resolvi reler as obras já lidas. Assim, as páginas foram me consumindo. Passei a freqüentar a biblioteca. Chegava lá de madrugada, "vamos, abram logo isso senão eu varo à bala", influenciada pelos personagens do Tempo e o vento e pela impaciência de Elis. Proibiram-me de voltar durante uma semana. Por sorte encontrei em casa Solo de clarineta, o livro de memórias de Erico.

Peço então, por favor, para 2009, não me digam nada que comece com e. Não vou agüentar outro ano assim. Esse já está comprometido pelo velho e bom Erico. Até recusei assinatura por um ano de Época isenta de pagamento para evitar maiores obsessões.

7 comentários:

Vírgula Antenada disse...

Experimenta conhecer Elisa Lucinda e pula pra poesia, hahahahahahahaha.
Te garanto, vai ficar 2009 com outro "e".

Adoro ler seu bom humor em cada linha, simples, fácil digestão e satisfação garantida.
Muito bom.

Net Esportes disse...

É Esse É Exatamente um Empecilho Encomendado !!!!!! xD

Rui Felipe disse...

Por acaso vou ouvir engenheiros, talvez vc nao goste :(
Mas escute o ano todo, vai te fazer bem, ou nao...

Luiza disse...

Ah, não, nem pensar, detesto o Humberto e sua voz.

Arthurius Maximus disse...

Não esquenta, o "E" até que é legal. Não é? (rs)

valéria mello disse...

Conheci de verdade Érico Veríssimo por causa da minissérie Incidente em Antares, que me levou a ler o livro. Depois li Caminhos Cruzados e gostei muito. Mas a paixão veio mesmo quando li, fora de ordem, o conjunto Clarissa, Música ao longe e Um lugar ao sol. São de uma simplicidade e ao mesmo tempo tão profundos e comoventes. Leitura obrigatória.

Luiza disse...

Da primeira vez, eu também li fora de ordem, li "Música ao longe" antes de "Clarissa". Agora estou relendo na ordem e concordo com você, são simples e ao mesmo tempo profundos.