Culpa do cartório

7.2.09



Como Eugenio e eu só juntamos os trapinhos, estava mais do que na hora de irmos ao cartório regularizar nossa situação de juntados/noivos. Calma, ainda não nos casamos, fomos apenas retirar uma declaração de união estável.

O folgado funcionário que nos atendeu demorou um tempão para digitar nos espaços em branco nossos nomes e de nossos pais porque ainda não havia fechado o jogo de paciência. Quando finalmente as cartinhas com reis, azes, damas e valetes começaram a cair, o homem resolveu trabalhar.

Resultado, errou várias coisas. Eugenio, cujo nome é igual ao de seu pai, passou a ter duas mães, Sandra e Eugênia, porque o atento funcionário trocou o "o" pelo "a". O segundo nome de sua mãe também estava errado. Quando Eugenio foi registrado, não constava acento em seu nome. Pois o esperto funcionário também acrescentou o sinal gráfico mesmo estando com a certidão diante de seus olhos. Então, meu marido/noivo apontou os erros.

O irritado funcionário disse que no Brasil o certo era aquele nome possuir acento e blá, blá, blá, querendo nos dar aula de Português. Para encerrar o assunto, coloquei a responsabilidade na gente dele: "isso foi erro do cartório que o registrou, foi erro de gente como você". O ridículo funcionário com nome esquisito, parecido com nome de doença e o segundo que não dá para saber se é de homem ou de mulher estava querendo encrencar por causa de um acento. Vai ver por isso quis transformar meu sogro em mulher. Não conseguiu, teve que reescrever, imprimir sem erros, entregar o papel para assinarmos, para só depois começar outro jogo de paciência em seu computador.

3 comentários:

Eugenio Hoch Junior disse...

É ótimo (otimo) ter a Luiza por perto! :)
Ainda bem que o sujeito não (nao) conheceu a mulher do carteiro...

* disse...

Declaração de união estável é o mesmo que CASADOS!!!
EEEEEEEEEEEEEEE!!! :D
Sou a favor da extinção dos jogos Paciência, Paciência Spider, FreeCell e assemelhados dos computadores que não sejam computadores pessoais. Tinham que fazer como a prefeita Carmem Regina, de Lajeado, que proibiu seus funcionários de tomar chimarrão durante o expediente da prefeitura :P

february star disse...

que lindinhos vcs dois quase casadinhos

odeio gente que trabalha mal
ou não trabalha, como é o caso desse bruto